Navegantes tem sistema de monitoramento 24 horas, cobrindo toda a cidade.

Navegantes tem sistema de monitoramento 24 horas, cobrindo toda a cidade. – Foto: O Nosso Jornal – Navegantes

A falta de segurança pública era algo até pouco tempo visto apenas em cidades de grande porte, contudo, com o aumento dos estragos causados por sucessivas crises econômicas e a falta de um crescimento ordenado e sustentável, não se faz mais distinção de tamanho quando o assunto é aumento da criminalidade e a cidade de Navegantes vem sendo alvo da ação desenfreada de uma facção que controla presídios, agindo dentro e fora deles, estando essa enraizada na localidade, com lideranças vivendo atualmente no município. Se por um lado o cidadão navegantino viu criminosos se mudando para a até então pacata cidade, por outro viu os investimentos em segurança pública, atribuição que deveria ser de responsabilidade do Governo do Estado de Santa Catarina, diminuírem drasticamente, ao ponto de o 25º Batalhão de Polícia Militar não conseguir garantir, sozinho, a segurança da comunidade navegantina. Para enfrentar tal problema, a Prefeitura de Navegantes decidiu por investir em monitoramento eletrônico, por meio de Câmeras espalhadas pela cidade e que podem ser acessadas por órgãos estaduais e federais de segurança como as polícias Civil, Federal e Militar.

A estrutura de monitoramento, existente desde 2017, ganhou novos investimentos e é coordenada por Guilherme Nascimento, que vem a ser o diretor de Inteligência Integrada. Segundo o responsável, atualmente o sistema consiste em oito telas que monitoram cerca de 200 câmeras, sendo essas, metade de propriedade do poder público e o restante alugado. Três computadores separam as imagens em áreas de atuação, sendo uma para a vigilância patrimonial, a qual se responsabiliza pelos prédios públicos, cemitérios, praças, hospital, entre outros. Já a segunda maquina, recebe imagens do sistema Bem te Vi, coordenado pelo Governo do Estado. A terceira trabalha monitorando a área de trânsito.

PM pode multar

Apesar de as câmaras conseguirem mostrar com nitidez as placas dos carros, por enquanto elas não são utilizadas para emissão de multas por parte da autoridade municipal de trânsito, a Navetran, órgão ao qual está subordinada a central de monitoramento. Contudo, a Polícia Militar, autoridade estadual na área, compartilha as imagens do município e pode emitir autuação, caso as leis de trânsito venham a ser desrespeitadas.

Irá auxiliar

Apesar de ainda não emitir multa, o proprietário de veículo automotor que circula por Navegantes deve estar atento, pois as câmeras podem escanear as placas e informar às autoridades que determinado automóvel está em dívida com as obrigações para o trânsito em vias públicas.

Fiscalização

Se no trânsito o cidadão flagrado cometendo alguma irregularidade poderá se safar, o mesmo não vale, obviamente, para quem comete crimes. Um detector de face está instalado na saída do ferry boat e, em breve, poderá alertar para a chegada em solo dengo-dengo, de indivíduos, por exemplo, que sejam procurados pela Justiça. Para que essa funcionalidade seja tirada do projeto, uma lei precisará ser aprovada, até para que seja permitido o cruzamento deste banco de dados dos procurados, hoje de posse apenas do Estado e União.

Investigações

Enquanto o escaneamento não é efetivado, alguns crimes já foram elucidados, a partir do monitoramento eletrônico. A troca de informações entre as autoridades policiais é, segundo o diretor Guilherme, uma das principais atribuições do órgão ultimamente.  Perguntado sobre algum caso específico, o servidor disse não poder abordar situação específica, em razão de elas ainda estarem em fase de inquérito e/ou processo.

Toda a cidade

É possível, por meio do setor de Inteligência Integrada, cobrir praticamente toda a cidade, já que todos os bairros recebem câmeras. De acordo com o responsável, até fevereiro de 2021, todos os prédios públicos deverão estar monitorados. “Tem áreas de interesse que estamos priorizando na colocação das câmeras, mas até o próximo ano devemos ter tudo coberto”, garantiu Guilherme.

Redução de crimes

De acordo com números passados pela Polícia Militar, desde que a central de monitoramento passou a operar, houve redução de 25% dos crimes violentos letais e intencionados, como o homicídio, e os ocasionados por confronto policial militar. Observa-se também a redução dos crimes de furto, em -40% e roubo, em -70%.

Fonte: O Nosso Jornal – Navegantes

Deixe seu comentário

%d blogueiros gostam disto: